Artigos PC PS3 Xbox 360

DLC’s: Prepara a Tua Carteira

DLC's: Prepara a Tua Carteira

O mercado dos videojogos está mais digital do que nunca, hoje praticamente em todas as plataformas é possível distribuir jogos digitalmente via download e isso permite às companhias prestarem serviços com uma velocidade impressionante. Para além dos videojogos as companhias também descobriram que era infinitamente mais fácil lançar conteúdo extra para os seus jogos e eis que chegaram os DLC’s.

A história do conteúdo adicional começou primeiro com as “expansões de videojogos“, que há uns anos atrás eram raras mas traziam consigo mudanças significativas ao jogo original. Ou seja, como as companhias não podiam estar constantemente a lançar novas expansões, as que saiam eram grandes e normalmente bem recebidas pelos gamers.

A distribuição digital veio facilitar o processo de distribuir conteúdo adicional, subitamente surgiu o DLC (Downloadable content) que é conteúdo adicional para download que pode ou não ser de grande dimensão. Por um lado o DLC é uma boa ideia porque naturalmente aumenta a longevidade de um videojogo, pelo o outro não demorou muito até que as companhias percebessem que havia muito dinheiro para ganhar com DLC’s e como os nossos leitores sabem muito bem, quando há muita “nota” envolvida há também uma tendência para o exagero.

O DLC que é uma boa ideia transformou-se para um grande número de companhias simplesmente como uma forma adicional de fazerem dinheiro. Eles não são todos maus, longe disso, mas há de facto um grande número de DLC’s que são realmente inúteis.

Junte-se a isso a desonestidade de algumas companhias que chegam a lançar um jogo com o conteúdo extra já incluído no mesmo mas bloqueado e é fácil perceber porquê que os gamers começam a ficar incomodados com tantos DLC’s. O conteúdo adicional para um videojogo é sempre bem vindo especialmente se for um dos nossos jogos preferidos, mas quando existe uma estratégia deliberada de uma companhia que conscientemente não adiciona conteúdo que já tem pronto ao seu produto final, só para o vender posteriormente via download, aí sim temos um problema.

No seio da nossa equipa já discutimos muito a questão dos DLC’s e todos partilhamos da mesma opinião, que é a de que um gamer só deve comprar um DLC se de facto ele adicionar conteúdo suficiente à experiência. Por outras palavras, recomendamos que só comprem DLC’s quando os mesmos se encontraram ao nível de uma expansão e ignorem aqueles pequenos conteúdos extra insignificantes que na realidade nem sequer aumentam a longevidade de um videojogo de forma significativa.

Paulo Figueiredo

Paulo Figueiredo

Editor em Gaming Portugal
O Figueiras é um elemento fundamental do Gaming Portugal e a figura mais respeitada da equipa. A sua vida atarefada e cheia de responsabilidades impede-o de acumular uma posição de maior destaque, embora mesmo se tivesse essa oportunidade o mais certo era ele recusá-la. A sua participação no Gaming Portugal é motivada principalmente pelo gosto por gaming e dá-lhe um prazer especial saber que nesta casa a “independência” é uma característica definidora.
Paulo Figueiredo

Últimos posts por Paulo Figueiredo (exibir todos)

Também poderás gostar de:

A Gaming Portugal Recomenda

 

Deixa um comentário

Sê o primeiro a comentar!

Notificações de
avatar
wpDiscuz

Política de Privacidade & Cookies

Este site (tal como todos os outros) utiliza cookies. Ao navegares na Gaming Portugal estarás a consentir a sua utilização.