Notícias PC PS3 Xbox 360

Violência Como Parte Da Narrativa

Violência Como Parte Da Narrativa

Os jogos de hoje são consideravelmente mais violentos do que os do passado, aliás a discussão da violência em videojogos não é uma novidade e tem sido alvo de polémica em vários países. Mas para Ken Levine (designer do Bioshock) a violência faz parte da narrativa e ajuda a tornar a história mais apelativa.

Levine vai mais longe explicando que não é justo culpar os videojogos pela violência entre adolescentes:

[sws_blockquote_endquote align=”” cite=”Ken Levine” quotestyle=”style02″] Eu acho que existem questões aqui. Recordo-me de quando era uma criança e não era um miúdo muito popular, era um nerd. Eu não tinha muitos amigos porque não era muito bom a socializar. Encontrei o Dungeons & Dragons e se vocês se lembram nos anos 70 esse jogo foi alvo de polémica, os miúdos andavam-se a matar por causa dele e isso aconteceu com livros de banda desenhada e com a música rock and roll. [/sws_blockquote_endquote]

 

De facto este comentário faz sentido, por vezes um livro ou até uma música pode despoletar violência e verdade seja dita, ela está presente todos os dias na televisão quer seja através de séries, filmes ou até no telejornal. Apesar disso é verdade que hoje os jovens adolescentes estão mais expostos a ela e em diversos casos estamos a falar de violência particularmente brutal.

Os pais precisam de começar a perceber que muitos videojogos não são feitos para crianças nem para jovens adolescentes mas sim para adultos. Há uma comunidade de gamers que foi crescendo nos últimos 20 anos e embora um Bioshock Infinite seja um jogo belíssimo, ele não é para menores de idade.

O novo Bioshock também vem validar outra opinião de Levine:

[sws_blockquote_endquote align=”” cite=”Ken Levine” quotestyle=”style02″] A violência fez parte da narrativa e ajuda a contar melhor a história. [/sws_blockquote_endquote]

 

Observemos por exemplo o caso de Bioshock Infinite, que é sem dúvida um jogo que possui a sua dose de violência, embora muitas vezes ela passe despercebida pela força da narrativa. Ou seja, a violência não é utilizada apenas porque é popular mas sim como um instrumento importante para contar a história e envolver o gamer nela.

Finalmente e volto a repetir, é preciso nunca esquecer para que tipo de audiência foi criado determinado jogo, porque olhando para o mercado preocupa-me mais os pais que insistem em comprar para os seus filhos adolescentes jogos claramente identificados como sendo para adultos.

Obrigado, Gamespot e PC Gamer

Diogo Mota

Diogo Mota

Editor-Chefe em Gaming Portugal
O Diogo é o organizador, todo o conteúdo do website passa de uma forma ou de outra pelas suas mãos, ele certifica-se que os padrões de qualidade são sempre altos e se a Gaming Portugal é hoje uma máquina relativamente bem oleada, isso acontece em grande parte graças ao seu trabalho.
Diogo Mota

Também poderás gostar de:

A Gaming Portugal Recomenda

 

Deixa um comentário

Sê o primeiro a comentar!

Notificações de
avatar
wpDiscuz

Política de Privacidade & Cookies

Este site (tal como todos os outros) utiliza cookies. Ao navegares na Gaming Portugal estarás a consentir a sua utilização.