Artigos PC PS3 Xbox 1

A Violência Não é Um Problema Dos Videojogos

A Violência Não é Um Problema Nos Videojogos

Ao contrário do que muitos indivíduos e organizações querem fazer parecer, a violência não é um problema dos videojogos, pelo contrário ela é um problema da sociedade em geral e culpar os videojogos pelo aumento da violência entre os jovens é uma atitude de quem não sabe do que está a falar.

É inegável que a violência, ou melhor, a celebração da violência é um problema bastante sério da nossa sociedade. Por alguma razão bizarra a violência está na moda, ela surge nos telejornais; nas séries televisivas; na internet; nos filmes e se pensarmos bem, diariamente os jovens de hoje estão mais expostos à violência do que estavam há 15 ou 20 anos atrás.

Os próprios videojogos tornaram-se mais violentos, embora ainda existam muitas experiências originais e de qualidade que não recorrem à violência, é um facto que um grande número de jogos escolhe esse caminho. No entanto há um “pequeno pormenor” que é esquecido, no mundo do gaming tudo o que é conteúdo violento e para adultos está devidamente assinalado.

As companhias são obrigadas a sinalizar devidamente os seus videojogos, por exemplo o célebre Grand Theft Auto IV sempre esteve desde o início assinalado como sendo um jogo para maiores de 18; que possui violência explícita e má linguagem. Aliás esta informação está na caixa e é bastante óbvia, Grand Theft Auto IV é um jogo para adultos e não para adolescentes!

Mas como é que tantos jovens adolescentes têm o Grand Theft Auto IV? A resposta é simples, na grande maioria dos casos é porque os pais compraram-lhes esses jogos. Sim, foram os pais, que depois de olharem para a capa do jogo e terem visto claramente que se tratava de um jogo para maiores de 18, o compraram na mesma para o seu filho de 12 anos ou até de idades inferiores.

Isto é praticamente o mesmo que irmos a um “clube de vídeo” – eu sei que eles estão quase extintos mas sigam o meu raciocínio – e comprarmos um filme de pornografia para o nosso filho! Curiosamente ninguém faz isso e sabem porquê?

  • Porque aquele filme é para adultos e não para jovens adolescentes ou crianças!

Os videojogos há muito que deixaram de ser exclusivamente uma brincadeira de crianças, na realidade muitos deles são criados tendo como público alvo um segmento mais maduro, todavia parece que muitos pais preferem ignorar esse facto e em vez de assumirem responsabilidades, optam por culpar quem cria esses videojogos. É mais fácil…

Os pais são os principais responsáveis pelo conteúdo a que os seus filhos são expostos, é verdade que hoje em dia e com a Internet isso é mais dificil de controlar, no entanto não é justificação para que algumas pessoas comprem videojogos que estão CLARAMENTE identificados como sendo para adultos, para os miúdos de lá de casa.

Será que a violência é um problema dos videojogos, ou pelo contrário serão os pais irresponsáveis o verdadeiro problema?

Paulo Figueiredo
O Figueiras é um elemento fundamental do Gaming Portugal e a figura mais respeitada da equipa. A sua vida atarefada e cheia de responsabilidades impede-o de acumular uma posição de maior destaque, embora mesmo se tivesse essa oportunidade o mais certo era ele recusá-la. A sua participação no Gaming Portugal é motivada principalmente pelo gosto por gaming e dá-lhe um prazer especial saber que nesta casa a “independência” é uma característica definidora.

Também poderás gostar de:

  • Concordo. Há uns anos atrás, via colegas meus a jogar GTA Vice City ou Liberty City Stories na PSP e perguntava-me como é que eles conseguiam convencer os pais a comprar esse jogo…

%d bloggers like this: