Notícias PC

Battlefield 3: PC é Plataforma Principal

Battlefield 3: PC é Plataforma Principal

As notícias mais recentes sobre a terceira edição de Battlefield andam centradas sobre algum descontentamento registado pelos gamers de consolas, pelo facto de se ter visto muito pouco do jogo quer na PS3, quer na Xbox 360. No entanto a DICE já fez questão de divulgar que o PC será a plataforma principal neste jogo e que isso é inevitável porque se trata de uma plataforma mais potente.

Nós temos visto muito sobre Battlefield 3, mas normalmente os vídeos de jogabilidade ou screenshots são da versão do PC. Não é nada que nos surpreenda se tivermos em conta as declarações da companhia em Abril. Battlefield 3 é um jogo que segue ao que parece o caminho inverso, é projetado incialmente para o PC e só depois para as consolas, um processo que de resto é inteligente porque criar um jogo para consolas e depois convertê-lo para o PC acaba sempre por lhe retirar qualidade.

O Karl Magnus Troedsson da DICE aproveitou recentemente para revelar à Eurogamer que o PC continua a ser a plataforma principal e que os gamers precisam de compreender isso:

“Esta discussão recente é um pouco absurda porque as pessoas não compreendem que o PC é mais poderoso do que uma consola. Nós sempre quisemos mostrar uma plataforma que tivéssemos escolhido como a principal e neste caso escolhemos o PC”

Troedsson revela ainda que é natural que a versão do PC seja a mais potente e com mais opções, nós já sabemos por exemplo que o PC vai ter um modo onde vão poder jogar em simultâneo 64 jogadores algo no mínimo impressionante.

Fontes: Eurogamer, PC Gamer

A opinião do GP:

Nós não vemos a escolha do PC como plataforma principal algo negativo, de facto já é altura para as companhias começarem a trabalhar da forma correta. Sempre que um jogo é lançado para as três plataformas faz sentido que na maior parte das vezes a versão do PC seja o ponto de partida, pois só assim é possível oferecer um bom jogo aos gamers do PC e das consolas.

Se recuarmos um pouco no tempo vamos perceber que as companhias costumam muitas vezes privilegiar as consolas e “presentear” os gamers de PC com conversões que não exploram o potencial da plataforma. Foi o que aconteceu mais recentemente com o Crysis 2 quando saiu para o mercado e que levou a que muitos gamers de PC tivessem um ataque de nervos.

Hoje em dia o mercado ainda é das consolas, a DICE optou por outro caminho e só no dia do lançamento vamos saber se ela tomou uma decisão acertada.

Paulo Figueiredo
O Figueiras é um elemento fundamental do Gaming Portugal e a figura mais respeitada da equipa. A sua vida atarefada e cheia de responsabilidades impede-o de acumular uma posição de maior destaque, embora mesmo se tivesse essa oportunidade o mais certo era ele recusá-la. A sua participação no Gaming Portugal é motivada principalmente pelo gosto por gaming e dá-lhe um prazer especial saber que nesta casa a “independência” é uma característica definidora.

Também poderás gostar de: