Jogos Indie PC

Wrack: Um FPS ‘Old School’ Cheio De Personalidade

Wrack: Um FPS Old School Cheio De Personalidade
[toggle title=”Informação Geral Sobre o Jogo”]

NOME DO JOGO: Wrack

CRIADORES: Final Boss Entertainment

ESTADO: em desenvolvimento… (BETA)

PREÇO: 12.54€
[/toggle]

Eu sou do tempo em que os FPS’s eram simples, terrivelmente difíceis e muito divertidos. Recordo-me de títulos como o  Doom, o grande Duke Nukem ou o Rise Of The Triad, jogos cuja inovação abriu caminho para uma nova era no mundo do gaming e que são até hoje recordados como clássicos imperdíveis. A boa notícia é que um novo jogo procura recuperar a essência destes grandes colossos, ele chama-se Wrack e é qualquer coisa de especial.

Diferente, Wrack é um FPS com um estilo arcade que imediatamente nos faz recuar no tempo. Ele vai buscar inspiração às grandes referências no género e tenta oferecer-nos uma experiência imediata, divertida e adaptada aos tempos modernos.

Correndo o risco de parecer demasiado elitista pode-se dizer que ‘Wrack é um verdadeiro jogo para gamers’. Com isto quero dizer que ele não escolheu o caminho óbvio e populista seguido pela maior parte dos FPS’s modernos, pelo contrário há aqui uma tentativa deliberada de criar algo único, um jogo moderno com o “feeling” de um clássico que revela um enorme potencial.

wrack-screen1
A beleza da simplicidade, Wrack recupera a essência dos clássicos…

Foi para mim uma das surpresas mais agradáveis deste ano no mundo do gaming e chamo-lhe de “surpresa” porque eu não esperava que finalmente alguém conseguisse replicar com sucesso uma fórmula entretanto esquecida. Pois bem, os senhores da Final Boss Entertainment estão de parabéns e apesar do seu jogo ainda se encontrar numa fase de desenvolvimento, já existem pequenos vislumbres de brilhantismo que me deixam entusiasmado com o futuro.

Verdade seja dita, já houve diversas incursões por parte de outras companhias para tentar recuperar a glória da simplicidade do FPS clássico, o problema é que nenhuma dessas tentativas foi muito bem sucedida. Na realidade existe sempre um certo receio de voltar às origens, afinal de contas estamos a falar de um mercado dominado pelo formato dos Call Of Dutys e companhia onde parece existir muito pouco espaço para ideias que o desafiem.

Felizmente nos últimos anos os jogos independentes têm ganho força o que se tem traduzido num grande número de títulos bastante originais e bem sucedidos. Wrack já tem do seu lado a originalidade e caminha a passos largos para, quem sabe, se transformar num sucesso.

wrack-screen2
A caçadeira é uma das armas que dá mais gosto disparar…

Mas vamos ao que interessa que é o jogo propriamente dito. Imaginem os clássicos do passado, esqueçam os “reloads” e os inventários complexos e optem pela simplicidade, adicionem-lhe um grafismo “cel shading”, uma espada letal acompanhada de armas poderosas e têm Wrack.

Eu sei, a receita parece demasiado simplista e até muito pouco impressionante à primeira vista, mas não se deixem enganar, Wrack é um jogo cheio de personalidade e uma experiência que não pode ser ignorada pelos verdadeiros fãs de FPS’s.

Desde a jogabilidade, passando pelo grafismo e culminando com uma banda sonora da autoria do genial Bobby Prince ( Wolfenstein 3D, Doom, Rise of the Triad, Doom II, Duke Nukem II, Duke Nukem 3D), este jogo tem os ingredientes de um clássico habilmente moldados num produto moderno.

Jogar Wrack é acima de tudo uma experiência muito divertida e mesmo nesta fase de desenvolvimento ele já nos oferece uma experiência “arcade” de qualidade; recheada de ação; monstros; armadilhas; bosses e muito mais. Os mais velhos vão jogá-lo com um grande sorriso nos lábios e reviver sentimentos que ficaram “presos” na sua adolescência, já os mais novos vão poder descobrir as razões que fizeram do FPS um género tão popular como ele é hoje.

Amigos gamers, eu acredito que nós estamos perante mais um jogo independente com um enorme potencial. Wrack possui referências clássicas capazes de maravilhar os gamers mais nostálgicos que andam por aí, enquanto ao mesmo tempo é um jogo moderno o suficiente para deixar todos os fãs de ação satisfeitos.

A Final Boss Entertainment merece um reconhecimento especial por ter sido audaciosa, porque se recusou a seguir o caminho aborrecido e previsível do FPS de ação moderno e sem substância e finalmente porque com este pequeno, modesto e ainda inacabado jogo ela conseguiu oferecer-me alguns dos melhores momentos de divertimento deste ano e isso meus amigos, é o mais importante.

[sws_grey_box box_size=”595″] Se estás a desenvolver um jogo independente ou se achas que nós deveríamos dar destaque no Gaming Portugal a um determinado videojogo, então envia-nos um email em geral(at)gamingportugal(dot)com ou visita o nosso fórum oficial e deixa-nos lá a tua sugestão. [/sws_grey_box]
Paulo Figueiredo

O Figueiras é um elemento fundamental do Gaming Portugal e a figura mais respeitada da equipa. A sua vida atarefada e cheia de responsabilidades impede-o de acumular uma posição de maior destaque, embora mesmo se tivesse essa oportunidade o mais certo era ele recusá-la. A sua participação no Gaming Portugal é motivada principalmente pelo gosto por gaming e dá-lhe um prazer especial saber que nesta casa a “independência” é uma característica definidora.

Também poderás gostar de: